terça-feira, 30 de agosto de 2011

Ele: Temos que terminar



Ela: (caiu uma lagrima em seus olhos) mais porque ?
Ele: porque eu te amo demais. :/
Ela: mais eu te amo mais ainda , se nós (ele interrompe)
Ele: ele é o motivo , eu te amo demais , voce me ama demais , não da mais pra gente fica junto ,
Ela: mais eu não to entendendo amor , você é tudo pra mim, 
Ele: não insista amor , você vai entender, me compreenda. 
Ela: vai ser melhor pra você ?
ela : então você acha que o melhor pra mim é ficar sem você ? /chorando; 
ele : Leeh , com o tempo você vai perceber que eu fiz isso por amor , e que 
eu não te quero ver chorando por mim , e ter que acaba com essa amor de uma vez. 
ela : ... 
ele : por isso vou acaba agora , porque mais tarde a dor vai ser menos. 
ela : como assim a dor vai ser menor ? 
ele : você vai me entende como eu disse : 
ela : se você quer assim /chorando. tudo bem , te conheço sei que não é por mal isso 
ele : obrigado : da um abraço bem apertado nela 

( no outro dia na escola, ela esperou ele , mais ele não apareceu) 
e se passaram dois dias. 
Até o dia que ele apareceu (...) dia que ele foi a aula : 

ele : oi , 
ela : com uma lagrima : oi , porque faltou? 
ele : problemas Leeh :/ 
ela : quer conversar ? 
ele : não , da um beijo na testa dela e sai de cabeça baixa 

no outro dia na aula ele não apareceu, e ela se sentindo muito mal foi embora 
ligar pra ele. 

ela : alô ? 
mãe dele : oooi querida , como vai Leeh ? 
ela : muito mal , preciso falar com o Max , ele esta ai ? 
mãe dele : éée , éée , então ele não esta / começou a fazer voz de choro 
ela : dona TANIA a Senhora esta bem ? alô alô 
mãe dele : querida desculpa não foi nada , liga daqui a pouco ? 
ela ; sem problemas , tchau 
mãe dele : tchau 

no outro dia , ele não apareceu , e assim se passo 2 meses. 
ela fico muito mal pois a mãe dele ja não atendia os telefonemas dela. 
ele não ia a escola , ela não via ele , ela perguntava dele pros amigos dele 
e NADA , NADA E NADA.
- um dia desses o telefone dela toca , e é a mae dele. 

ela : Alô , 
mae dele : Leeh ? ( ela o interrompe ) 
ela : meu deus ? O QUE OUVE , cadê o Max eu preciso dele , eu quero ele cadê ele ? chorando em desespero. 
mãe dele : leeh , calma (começou a chorar) o Max precisou fazer uma viajem muito pra muito longe (ela o interrompe de novo) 
ela : eu não ligo , quero viver com ele , pra onde ele foi ? onde , onde ? por favor eu não aquento viver sem ele, me diga a cidade pra onde ele foi eu vou ate lá / em desespero 
mãe dele : talves essa viagem pra onde ele foi , você possa ir, não agora ! / começou a chorar, mas ele deixou uma coisa pra você 
vem buscar 
ela : to indo agora 
telefone mudo , tu tu tu tu . 

- na chuva , ela chega toda molhada na casa dele 

ela : , cadê ? , cadê ?, com o rosto todo inchadohado de tanto chorar 
mãe dele : aqui , toma!: 
ela : uma carta ? 
mãe dele : sim
ela : NÃÃÃÃAAAAAAO MEEEEEEEEU DEUS, porque levou a ele e não a miiim /DESESPERADA 
mãe dele : abraça ela e as duas começa a chorar. 
ela : vou embora , minha vida acaba aqui , sem Max sem vida 
- vira as costa , não espera a mãe dele dizer nada e sai. 
ela : olha pra janela e manda um beijo pra mãe dele. 

2 dias depois , aparece uma garota morta com uma carta na mão 
era a Leeh com suas ultimas palavras 

- Como eu disse , sem Max sem vida 
Minha vida acabou no momento que li a carta dele , mais como ele disse que estaria me esperando no céu 
fui em busca do meu amor. eu sei que eu amo ele, e sei que sem ele , minha vida não faria o minimo sentido 
já não comia , não dormia , não sorria , não fazia mais nada 
Mãe desculpa mas tenho certeza que a senhora não queria me ver sofrer assim , então acabei com meu sofrimento de uma vez. e pode ter certeza , eu estou com ele e com Deus , eles vão cuidar de mim. 
fui fica com ele Mãe , eu amo você e meu Pai , manda um Abraço pra Dona Tania mãe do Max. diga a ela que eu amo ela também 
- minhas ultimas palavras : fui fica com meu verdadeiro amor , pois sei que na terrá eu não viveria sem ele 

fuis , .. 



Recado : Por ódio a gente mata e por amor a gente morre.

Nenhum comentário:

Postar um comentário